quinta-feira, 21 de maio de 2009

video

Galileu Galilei (em italiano Galileo Galilei, Pisa, 15 de fevereiro de 1564Florença, 8 de janeiro de 1642) foi um físico, matemático, astrónomo e filósofo italiano. Ele teve um papel preponderante na chamada revolução científica.
Galileu Galilei desenvolveu os primeiros estudos sistemáticos do
movimento uniformemente acelerado e do movimento do pêndulo. Descobriu a lei dos corpos e enunciou o princípio da inércia e o conceito de referencial inercial, ideias precursoras da mecânica newtoniana. Galileu melhorou significativamente o telescópio refrator e com ele descobriu as manchas solares, as montanhas da Lua, as fases de Vénus, quatro dos satélites de Júpiter, os anéis de Saturno, as estrelas da Via Láctea. Estas descobertas contribuíram decisivamente na defesa do heliocentrismo. Contudo a principal contributo de Galileu foi para o método científico, pois a ciência assentava numa metodologia aristotélica.
O físico desenvolveu ainda vários instrumentos como a
balança hidrostática, um tipo de compasso geométrico que permitia medir ângulos e áreas, o termómetro de Galileu e o precursor do relógio de pêndulo. O método empírico, defendido por Galileu, constitui um corte com o método aristotélico mais abstrato utilizado nessa época, devido a este Galileu é considerado como o "pai da ciência moderna".

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Astronomia versus Astrologia




A origem é a mesma, mas as versões são completamente diferentes. Desde os mais remotos tempos o homem já olhava o céu buscando simbolismos ou mesmo se guiando pelas estrelas. Com a comemoração do Ano Internacional da Astronomia em 2009, surge uma outra questão com relação a Astrologia: Existem mesmo evidências da capacidade dos astros de revelar nossa personalidade, ao ponto de influenciar nosso comportamento e destino? Bom, a astronomia é uma ciência que estuda a constituição dos astros, sua posição e movimento nos processos físicos. A investigação desses astros vem das leis da física e do estudo da radiação eletromagnética emitida por eles. Seus resultados são exatamente os mesmos para qualquer pessoa. Já a astrologia fundamenta seus estudos na influência que esses astros têm no destino e no comportamento das pessoas. Tudo baseado nos movimentos dos planetas. Alguns adeptos acreditam que é uma espécie de arte e adivinhação capaz de prever futuro e o tipo de personalidade de cada um. Os críticos, por sua vez, acham a astrologia uma pseudociência ou mesmo superstição, sem fundamento científico. O que eles questionam é qual a real probabilidade de 400 milhões de pessoas no mundo, sob o mesmo signo, terem o mesmo tipo de dia previsto pela astrologia. E antes de Urano (1781), Netuno (1846) e Plutão (1930) serem descobertos, todos os horóscopos até então estavam errados? Para tentar desvendar esses mistérios vários estudos foram feitos. Bernard Silverman, psicólogo da Universidade de Michigan, fez um estudo sobre o comportamento no casamento de 2.978 casais, comparando com as previsões do horóscopo sobre compatibilidade. Como resultado ele concluiu que tanto as pessoas 'compatíveis' casam-se e divorciam-se na mesma frequência quanto as pessoas 'incompatíveis'. Outra pesquisa feita pelos astrônomos americanos Roger Culver e Philip Ianna fizeram registros de mais de 3 mil previsões publicadas por astrólogos conhecidos durante cinco anos. A porcentagem de acerto foi de apenas 10%. Um outro pesquisador australiano, Geoffrey Dean , trocou as previsões astrológicas de 22 pessoas, simplesmente substituindo as frases dos horóscopos por frases que diziam exatamente o contrário. Mesmo assim, cerca de 95% das pessoas disseram que as frases tinham tudo a ver com elas (tanto as frases originais quanto as trocadas). O fato é que as posições dos planetas em relação à Terra e ao Sol mudam de tempos em tempos, e muitas vezes a astrologia é usada com má fé para usurpar dinheiro das pessoas. O pior é quando crenças assim atingem áreas da saúde, causando danos físicos e mentais.
Até hoje não existe um mecanismo científico que consiga explicar as previsões da astrologia. Por isso não pode ainda ser considerada uma ciência. Um simples acerto no horóscopo não quer dizer que a teoria astrológica seja garantida, mesmo porque estatisticamente já foi comprovado que não funciona. O que vale é o estudo fascinante do cosmo, independente dos desejos e do tipo de vida das pes

breve histórico da evolução dos conhecimentos sobre astronomia


750 a.C. - Os egípcios começam a utilizar o movimento do sol para contar o tempo. Surgem os primeiros relógios de Sol.

1610 - O italiano Galileu Galilei desenvolve um instrumento parecido com um telescópio para observar os astros.

1845 - O irlandês William Parsons elabora o maior telescópio de sua época e descobre as primeiras galáxias espirais.

1851 - O físico francês Jean-Bernard-Leon Foucault comprova o movimento de rotação do planeta Terra.

1862 - O físico sueco Anders Jonas Angströn descobre que o Sol contém hidrogénio em sua composição.

1929 - O astrónomo norte-americano Edwin Powell Hubble descobre que as galáxias afastam-se uma das outras. É a semente para a Teoria do Big Bang, a explosão inicial que deu origem ao Universo.

1963 - O norte-americano Maarten Schmidt faz descobertas sobre os quasares, os astros mais distantes e mais poderosos que existem no universo.

1964 - Os astrónomos Arno Allan Penzias e Robert Woodrow Wilson detectam a luz originária da explosão do Big Bang há 13 bilhões de anos.

1967 - O astrónomo inglês Anthony Hewish consegue captar sinais de rádio do primeiro pulsar, uma espécie de estrela que emite radiação no formato de pulsos regulares.

1971 - O pesquisador canadense C.T. Bolt detecta a existência dos buracos negros que concentram a maior quantidade de matéria do Universo.

1975 - O físico inglês Stephen Hawking conclui que um buraco negro pode evaporar, perdendo nesse processo uma pequena quantidade de massa.

1987 - O astrónomo canadense Ian Shelton consegue a primeira supernova próxima da Terra. As supernovas são explosões de grandes estrelas próximas a morte.

1992 - O telescópio orbital Cobe consegue fotografar, com grande precisão, o brilho do Big Bang.

1999 - Os astrónomos, após observações e imagens do telescópio Hubble, comprovam que o Universo está se expandindo há 13 bilhões de anos, ou seja, desde o momento do Big Bang.